-

9 de abril de 2019

Secretaria de Turismo realiza última Consulta Pública da Orla Sul de Aracaju


Com o intuito de dialogar com a comunidade e alinhar as propostas da área litorânea de Aracaju, a Secretaria de Estado do Turismo, através do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Setur/Prodetur), órgãos fiscalizadores, e o Consórcio Orla Sul, realizaram na noite da segunda-feira (08), a última Consulta Pública do Projeto Orla Sul de Aracaju, baseado nas adequações urbanísticas e delimitações das praias. A ação aconteceu no Complexo Cultural ‘Gonzagão’, localizado no bairro Augusto Franco.

Na ideia de transmitir um melhor entendimento sobre as intervenções, a região litorânea foi dividida em três áreas, sendo a última, correspondente ao setor 3B até o 4, com início no Cemitério dos Náufragos e limite no Farol do Viral, ou seja, um total de 11 quilômetros.

No encontro, foram abordados ainda temas como turismo, meio ambiente, sistema viário, urbanismo e economia. O Consórcio é formado pelas empresas Ágora, Terra Viva e Empro, que detalharam todos os trâmites do projeto com a perspectiva de melhorar a qualidade de vida da região e fomentar o turismo.

Foram convidados para participar da ação todos os órgãos envolvidos com a área, entre eles, proprietários de bares e restaurantes, além da população. “O projeto foi dividido em três trechos e nesta última etapa foram realizadas três consultas públicas. Foram concluídos o trecho 1 e 2, o trecho 3A e agora, estamos finalizando o trecho 3B até o 4. Obrigatoriamente a iniciativa precisa ser validada por quem está ligado diretamente à Orla, tanto que na primeira etapa houve uma consulta extra, onde os donos de bares solicitaram algumas intervenções a mais”, explica Rafael Corona, arquiteto do Prodetur.

Com a expectativa de desenvolver mais um ponto turístico na capital sergipana, a coordenadora do Consórcio Orla Sul comentou sobre a história do Cemitério dos Náufragos. “Esta é a nossa oportunidade de desenvolver um novo ponto turístico cultural, pois Aracaju precisa. Aquele local teve uma história muito marcante, sendo o único ponto na América Latina, fisicamente envolvido com a Segunda Guerra Mundial, e isto gera uma importância enorme na atividade turística. É preciso aprender com as nações europeias que se utilizam de qualquer fato histórico para promover o próprio turismo”, frisa a arquiteta Clarisse Almeida.

Para o gestor da pasta do Turismo, Manelito Franco Neto, o Estado segue cumprindo todas as tratativas que garantem a legalidade da ação. “A primeira etapa, a mais complexa, que agrega o trecho dos bares em frente à AABB, já foi finalizada e orçada, e já possui a liberação da obra pela Secretaria de Patrimônio da União (SPU). Estamos esperando agora, a liberação pela SPU dos trechos 1 e 2, e o 3B ao 4, para que ao final, os projetos possam ser encaminhados ao BID e BNDES”, finaliza.

 


Atualizado há



Comentários

Escrever ou responder um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *